Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

DAGV 24h: conheça mais sobre os serviços do Departamento na capital

No DAGV estão presentes a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), a Delegacia Especial de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima (Deacav), a Delegacia de Atendimento aos Idosos e Pessoas com Deficiência (DEAIPD) e a Delegacia de Atendimento aos Crimes Homofóbicos, Raciais e de Intolerância Religiosa (Dachri)
19 de Fevereiro de 2019 | 12:28

O Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) presta serviço à população com quatro delegacias especializadas para atender o seguinte público: mulheres; crianças e adolescentes; idosos e deficientes; LGBT, negros e vítimas de intolerância religiosa. Tudo isso é feito no departamento que está localizado na Rua Itabaiana, no Bairro São José.

No DAGV estão presentes a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), a Delegacia Especial de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima (Deacav), a Delegacia de Atendimento aos Idosos e Pessoas com Deficiência (DEAIPD) e a Delegacia de Atendimento aos Crimes Homofóbicos, Raciais e de Intolerância Religiosa (Dachri). 

O Departamento, que surgiu em 2004, vem prestando um serviço efetivo e especializado para a sociedade.  Desde o final de 2018, o DAGV da capital se tornou um departamento plantonista, ou seja, atendendo o público 24h.

“Desde o meio de outubro do ano passado o departamento iniciou o funcionamento de 24 horas por dia, em sistema de plantão. Então nos feriados, finais de semana e durante o período noturno, o DAGV está aberto para atender todos os grupos vulneráveis, que podem nos procurar em uma situação na qual teve seu direito violado”, esclarece a diretora do DAGV, Mariana Diniz. 

Essa extensão do horário de atendimento foi uma medida essencial para a qualidade do serviço realizado pelo DAGV, já que a demanda vem crescendo bastante.

“O DAGV ter se tornado 24h sempre foi algo que almejávamos. Os casos específicos de crianças e adolescentes precisam de um atendimento especializado para que em outra delegacia comum, como as Delegacias Plantonistas, eles não sejam expostos a certas situações”, comenta a delegada Roberta Fortes, da Delegacia Especial de Atendimento à Criança e Adolescente Vítima (Deacav). 

O aumento da demanda do DAGV, para a Diretora Mariana Diniz, representa não só o crescimento da consciência por parte da população, que participa mais ativamente na defesa dos direitos, mas também representa os resultados positivos e o trabalho efetivo na busca da autoria e da elucidação dos crimes denunciados no Departamento. 

O DAGV trabalha de forma preventiva (realizando campanhas), de correção (comprovando os crimes) e também de acolhimento, tendo uma equipe multidisciplinar que acompanha os casos mais delicados, como os de crianças e adolescentes vítimas, e crimes sexuais. Essa equipe é composta por psicopedagogas, psicólogos e assistentes sociais, que atendem consultas agendadas todos os dias, das 9 às 11 horas, onde há uma escuta especializada e a produção de um relatório que é anexado ao processo judicial.  

“Nós agendamos uma consulta, principalmente para crianças e adolescentes que passaram por traumas. Nossas profissionais trabalham com a escuta especializada protegendo as crianças, para que as elas não voltem a "reviver" a situação que a levou até o departamento e, claro, para que a privacidade dela seja protegida", explica a assistente social do DAGV,  Naiana do Nascimento. 

O Departamento realiza alguns procedimentos em parceria com o Instituto Médico Legal (IML), com a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, com Defensoria Pública para ter um melhor acolhimento e apoio à vítima, porém a diretora relembra que a peça fundamental para todo esse trabalho é a denúncia.

 “É importante que toda vítima, e a sociedade que tenha conhecimento de alguma violência contra grupos vulneráveis, nos informe através do Disque-Denúncia - no 190, 180 ou no 181 - ou procure a sede do DAGV, para que os autores sejam punidos. Eu costumo dizer que a denúncia é a grande arma contra a impunidade”, ressalta a diretora e delegada, Mariana Diniz.

  • Medium 46bf0c2bad0401e7b71d9322c525707a
  • Medium 088b813bc8924df7afbb34ea87bd2cc1
  • Medium 57360e2f1d7b1e3ed07cbac358566946
Medium 46bf0c2bad0401e7b71d9322c525707aMedium 088b813bc8924df7afbb34ea87bd2cc1Medium 57360e2f1d7b1e3ed07cbac358566946