Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Refeitório do Huse fecha 2018 com mais de um milhão de refeições servidas

Do total, foram contabilizadas 735.715 entre pacientes adultos; 120.548 para pacientes infantis, 350.321 acompanhantes e 253.220 funcionários pelo Serviço de Nutrição e Dietética
22 de Janeiro de 2019 | 16:03

“Uma delícia, tudo fresquinho e bem elaborado. Essa é a minha segunda refeição de hoje e só tenho que agradecer a qualidade da comida. Eles capricham e a gente adora”. Esse foi o depoimento da acompanhante Sílvia Maia, 32, enquanto almoçava no refeitório do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Ela reside no município de Muribeca e está acompanhando a prima internada há 12 dias na enfermaria e tem direito as três refeições principais: café da manhã, almoço e janta.

Para se ter uma ideia, somente em 2018, foram servidas 1.459.804 refeições. Desse total, foram contabilizadas 735.715 entre pacientes adultos; 120.548 para pacientes infantis; 350.321 acompanhantes e 253.220 funcionários. O levantamento é do Serviço de Nutrição e Dietética (SND) da unidade, que conta com um cardápio variado.

As refeições são divididas em seis tipos: desjejum (café da manhã), colação (lanche da manhã), almoço, lanche da tarde, jantar e ceia, além das dietas líquidas e enterais (com ingestão controlada de nutrientes específicos).

A técnica de enfermagem Helena Cordeiro é servidora há quase 32 anos no Huse. Ela trabalha num plantão de 12 horas de serviço no hospital e é só elogios para as refeições servidas no refeitório do hospital. “Se for pra casa no intervalo de duas horas é quase o intervalo do repouso, então, é melhor ficar no hospital e almoçar. Um almoço é representativo para a unidade hospitalar e para o funcionário. Uma alimentação excelente, sal na medida certa, qualidade boa e balanceada com tudo o que a gente precisa”, enfatizou a servidora.

De acordo com a gerente do SND e referência técnica de nutrição do Huse, Sieune Roberta Araújo, se comparado com o ano anterior, 2018 foi um ano de redução significativa por conta de alguns planejamentos que foram elaborados pela gestão. “A gente percebeu essa diminuição em relação à quantidade de refeição para funcionários devido ao maior controle com as escalas para serem servidas para aqueles funcionários que estão no plantão de 8h e 12h que têm direito. A partir do mês de novembro, passamos a ter um controle com a identificação dos acompanhantes, na hora de receber o ticket tem que comprovar com um documento de identificação e acompanhar o paciente por 6 horas, no mínimo, além de respeitar os horários de renovação dos tickets para as próximas refeições”, explicou.


Qualidade

As refeições servidas no Huse continuam com o mesmo controle de qualidade. A empresa terceirizada elabora os cardápios diariamente e mensalmente. Antes de sair qualquer refeição tanto de paciente, quanto de funcionários e acompanhantes, é provado por um nutricionista que observa cor, sabor, textura, odor e aparência da comida. Não só as refeições sólidas, mas, as líquidas, os mingaus e sucos são inspecionados por um nutricionista do estado para serem liberados e porcionados para servir. Se existir qualquer inadequação, eles têm um período de readequação ou mudam a preparação.

Outra questão que o Serviço preza é evitar o desperdício e, para isso, são realizadas algumas campanhas de conscientização. “A gente tem um controle de pesagem, são feitas campanhas com os estagiários e percebemos uma redução com relação às sobras, além de pesquisas de opinião que foram feitas pelos estagiários”, ressaltou a gerente do SND do Huse.

Para assegurar uma boa alimentação aos pacientes, acompanhantes e funcionários do Huse, o SND realiza diariamente uma série de ações planejadas com o objetivo de manter a qualidade das refeições servidas no hospital. Uma delas é a distribuição dos alimentos que é realizada em carros isotérmicos, uma garantia de que o alimento vai chegar quentinho e bem conservado ao destino final, no caso o usuário.


Dietas

São dietas variadas de acordo com cada patologia. “Temos tanto as dietas solidas via oral, como as dietas líquidas e semilíquidas, além de um cardápio diferenciado e as dietas enterais, que são calculadas e individualizadas, a dieta que vai para um paciente não pode servir para outro e isso é feito pelos nutricionistas da equipe multidisciplinar de terapia nutricional”, acrescentou.

A alimentação servida em todo o hospital é completa e conta com frutas, sucos, sobremesas, proteínas e carboidratos, tudo balanceado para assegurar uma boa qualidade da refeição. 

  • Medium cc64fdcbb04685c4988b1504db793dec
Medium cc64fdcbb04685c4988b1504db793dec