Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Profissionais da Saúde se reúnem para discussão técnica sobre o medicamento Palivizumabe

Evento teve como propósito a troca de informações, experiências e orientações dos profissionais de saúde que estão envolvidos no processo do Palivizumabe, dentro das Unidades Neonatais e no Ambulatório
13 de Março de 2019 | 12:45

Aconteceu na manhã desta quarta-feira (13), no auditório da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), entidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), encontro científico sobre a substância Palivizumabe, medicamento indicado para a prevenção de infecções respiratórias graves em crianças causadas pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR). Participaram do encontro, além da equipe da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, profissionais da Maternidade Santa Izabel e do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE).

De acordo com a coordenadora da Unidade Neonatal da MNSL, Thereza Cristina  Azevedo, o evento de hoje teve como propósito a troca de informações, experiências e orientações dos profissionais de saúde que estão envolvidos no processo do Palivizumabe, dentro das Unidades Neonatais e no Ambulatório. 

“Alguns conceitos em relação ao direito desses pacientes de estar recebendo o Palivizumabe, administração e fluxo foram as pautas discutidas. Sentimos a necessidade de estar chamando uma profissional técnica especialista no assunto para orientar, tirar dúvidas e esclarecer os participantes sobre o processo do medicamento que é um tema de grande importância para nós que trabalhamos com neonatologia”, explicou Thereza.

A palestra foi ministrada pela enfermeira paulistana Érica Portella da Silva que atua há cinco anos com treinamento e com o Palivizumabe há três. “Recebi o convite da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, através da enfermeira Thereza Azevedo, e hoje o foco foi trazer informação e atualização para a equipe que trabalha com o medicamento na imunização dos bebês, contra o VSR que hoje é o maior causador de bronquiolite e pneumonia em crianças de até 2 anos de idade”.

Para a referência técnica da Neonatologia, Klebiana Barros, o encontro foi enriquecedor para toda a equipe pela oportunidade que tiveram de tirar dúvidas pontuais a cerca do processo como um todo como tb aproximar as instituições responsáveis do Estado no processo do Palivizumabe.

  • Medium 0db7c99fd97ef3a011215072819533c3
Medium 0db7c99fd97ef3a011215072819533c3