Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Funcionários da Fundação Renascer participam de curso de atualização sobre o ECA

Entre os temas incluídos na programação está o contexto e o perfil histórico que envolve a vida pessoal e familiar dos adolescentes; a socioeducação e suas consequências no progresso universal; Direitos Humanos; relacionamento com os familiares dos jovens acolhidos; fluxo e rotinas funcionais em todas as unidades administradas pelo Estado de Sergipe; sistema de segurança e medidas de primeiros socorros
12 de Março de 2019 | 14:41

De olho na qualificação profissional e administrativa, funcionários da Renascer - Fundação ligada à Secretaria de Estado da Inclusão Social que cuida da aplicação de medidas socioeducativas em meio fechado em Sergipe - participam de curso de atualização sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Promovido pela Escola do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), o curso abordou nesta terça-feira (12), questões relativas à condução socioeducacional de adolescentes a fóruns, postos de saúde, visita familiar, atividades esportivas, escolares e demais atribuições presentes no Estatuto.

De acordo com a Renascer, atividades de capacitação têm sido ofertadas periodicamente em todas as unidades que compõem o sistema socioeducativo de Sergipe. Desta vez, é direcionado aos mais de 160 funcionários que atuam na Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculino (Casem), erguida no Conjunto Marcos Freire I, Nossa Senhora do Socorro, região metropolitana de Aracaju. O curso segue até o final deste mês, quando todos os participantes receberão certificados, com validade de qualificação profissional.

Vanessa de Oliveira Horácio, coordenadora do Núcleo Estadual da Escola do Sinase, avalia que o governo de Sergipe tem atuado na perspectiva de multiplicar ações positivas junto aos adolescentes acolhidos pelo sistema. “Para que essa meta seja atingida, a principal medida a ser aplicada é a preparação dos profissionais que atuam diretamente com os jovens. Além de apresentar o ECA e o Sinase, nós nos reunimos em debates e discutimos não só as ações atualmente realizadas, mas novas medidas a serem implantadas, visando à melhoria gradativa da socioeducação sergipana”, explica. 

Ainda segundo ela, a capacitação totaliza 20 horas, divididas de acordo com o plantão dos profissionais. Entre os temas incluídos na programação está o contexto e o perfil histórico que envolve a vida pessoal e familiar dos adolescentes; a socioeducação e suas consequências no progresso universal; Direitos Humanos; relacionamento com os familiares dos jovens acolhidos; fluxo e rotinas funcionais em todas as unidades administradas pelo Estado de Sergipe; sistema de segurança e medidas de primeiros socorros. 

Diante da necessidade de estender a atividade para as demais unidades, uma escala funcional será implantada nos próximos nove meses, a partir de um planejamento desenvolvido pela Diretoria Operacional. “Em conjunto, estamos trabalhando para melhorar o sistema e continuar alcançando as metas estabelecidas pelo governo do Estado. Desta vez, estamos no Casem, mas o Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), a Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip), a semiliberdade e a Unidade Feminina (Unifem) também serão atendidas”, concluiu Vanessa Horácio.

  • Medium c33be52901b12dfb8bdb1e74225fb0bf
  • Medium 7b6fccb74d4b6cbbf989a674f89fb854
  • Medium 5d4993b2c7b2d7e570778200e7f9d72a
Medium c33be52901b12dfb8bdb1e74225fb0bfMedium 7b6fccb74d4b6cbbf989a674f89fb854Medium 5d4993b2c7b2d7e570778200e7f9d72a