Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Sergipe registra redução de crimes violentos nos primeiros meses do ano

Os dados são da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceacrim) da SSP. Em relação a 2018, Sergipe registrou uma redução de 31,4% nos crimes letais
11 de Junho de 2019 | 12:13

A Secretaria da Segurança Pública do Estado de Sergipe (SSP/SE) apresentou nesta terça-feira(11), durante coletiva à imprensa, um diagnóstico com números de crimes violentos letais intencionais em Sergipe, relacionados ao mês de maio e os cinco primeiros meses deste ano. Os dados são da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceacrim) da SSP. Em relação a 2018, Sergipe registrou uma redução de 31,4% nos crimes letais.

Os detalhes foram apresentados pela coordenadora da Polícia Civil da capital, delegada Viviane Pessoa; relações públicas da Polícia Militar de Sergipe, major Fábio Machado; comandante do Policiamento Militar da Capital, coronel José Moura Neto e o diretor da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal da SSP/SE, escrivão de Polícia Civil Sidney Santos Teles.

No mês de maio de 2019, em relação aos crimes de homicídios dolosos, os dados apontaram 70 casos registrados. Sendo 21 na capital, 11 na região metropolitana, e 38 no interior do estado. Já os crimes de latrocínio foram 04 casos registrados, enquanto confronto registrou 11 casos. O crime de lesão corporal seguida de morte não obteve registro.

Comparando os dados do período com os três últimos anos, observa-se diminuição nos índices. Maio de 2018 registrou 79 casos, com média de 2.5, uma redução de 11,4%. Maio de 2017 registrou 82 casos, com média de 2.6, com redução de 14,6% e maio de 2016, 78 casos, média de 2.5, redução de 10,2%.

Para o diretor do Ceacrim, os dados demonstram uma tendência na redução da criminalidade. “A redução é bastante significativa. Com relação a 2015, que foi o nosso maior pico dos homicídios dolosos, nós tivemos redução de 39% e na capital também houve uma redução muito grande, uma redução de 46% em relação a 2018 e em 2015 mais de 50%. Os dados de janeiro até agora demonstram a tendência de queda. O latrocínio que é o roubo seguido de morte, nós tivemos uma redução de 20% em relação ao ano passado e em relação a 2016, 60% de redução”, indicou Sidney Teles.

Para a coordenadora da Polícia Civil da capital, delegada Viviane Pessoa, a integração das Polícias, os investimentos que vêm sendo realizados pelo governo do Estado em inteligência, novas tecnologias, análise criminal e perícia, além da valorização dos policiais militares e civis, foram os fatores que contribuíram para redução dos crimes.

“Nós conseguimos mais 30% de redução de crimes letais em todo o estado. Com isso, a gente contabiliza que são mais de 150 vidas salvas. Isso é resultado da integração entre as polícias, gestão operacional da SSP, onde os gestores reúnem as ações, baseadas nos dados estatísticos, atacando as áreas em que a gente tem a mancha criminal. Além de ser fruto do trabalho forte na área de inteligência, contando também com o apoio dos novos policiais que entraram através do concurso público. Então, a gente tem uma redução hoje na capital superior a 40%. Nos crimes de latrocínio, nós temos uma redução de 20 %, mas em relação a 2016 a redução chega a 60 % . A confiança da população na nossa Polícia, e esse trabalho integrado é o grande diferencial. Essa comunicação direta entre as forças de segurança. Desta maneira, vamos continuar com esse trabalho forte para reduzir os casos de crimes violentos letais intencionais, para que a gente possa salvar cada vez mais vidas”, pontuou.

Janeiro a maio de 2019

No período de janeiro a maio de 2019, o levantamento registrou um total de 338 crimes, sendo 324 homicídios dolosos, 02 lesão corporal seguida de morte e 12 latrocínio. Comparando os dados com o período de 2018, foram 155 casos a menos, redução de 31,4%. Comparando os dados do período entre 2019 a 2015, foram 219 casos a menos, uma redução de 39,3%.

Em relação aos crimes de latrocínio, uma redução em relação aos anos anteriores. Comparando os dados do período entre 2019 a 2016, foram 18 casos a menos, uma redução de 60,0%.

Em relação aos homicídios dolosos, de janeiro a maio de 2019, os dados apontaram 324 casos. Em Aracaju, foram registrados 78 casos. Comparando do período entre 2019 a 2016, foram 74 casos a menos, uma redução de 48,7%. Já na região metropolitana, foram registrados 58 casos. Comparando os dados do período entre de 2019 a 2016, foram 52 casos a menos, redução de 47,3%. No interior do estado, foram contabilizados 185 casos. Comparando os dados do período entre 2019 a 2015, foram 91 casos a menos, redução de 33,0%.

O relações públicas da Polícia Militar de Sergipe, major Fábio Machado, ressaltou a importância da população em registrar ocorrências para direcionar as estratégias de combate à criminalidade. “O trabalho feito de forma inteligente, baseado nas estatísticas e graças a um conjunto de fatores. Toda vez que apresentamos qualquer tipo de redução, significa dizer que vidas que são salvas. São pessoas que deixaram de morrer em decorrência da criminalidade. A gente fica bastante feliz em apresentar à sociedade nosso trabalho, ao mesmo tempo em que pedimos sempre a colaboração da sociedade, para que faça o registro da ocorrência. Baseado nesses números é que a gente adota a melhor estratégia e  estamos conseguindo essa redução”, disse.

O levantamento destacou também as cidades com maiores reduções. Os municípios de Aracaju (redução de 68), São Cristóvão(18) e Nossa Senhora do Socorro (11) foram as regiões com maior destaque na redução no número de homicídios dolosos no período, em relação aos computados em 2018. A cidade de Aracaju figurava como uma das capitais brasileiras mais violentas. No levantamento, percebe-se uma redução crescente nos índices de homicídios dolosos.  No comparativo do período de 2019 com 2018, uma redução de 46,6%, já em relação a 2017, a redução foi de 36,1%.

“Realizamos operações na capital praticamente todos os dias, principalmente naquelas vias de saída e entrada, a exemplo do Aeroporto, Barra dos Coqueiros, rodovia dos Náufragos, João Bebe Água. A gente tem feito ainda um policiamento bem ostensivo e intensificado nos bairros Santa Maria, 17 de Março, e Porto Dantas. Além disso, temos barreiras móveis que ficam todos os dias fazendo blitz e operações dentro da cidade e bairros, de acordo com a macha criminal", relatou o comandante do Policiamento na Capital, coronel Neto.
 

  • Medium f4103e94334ac545e884298431d0afe0
  • Medium 010ac9a402de370882d1bdbaf6a70e09
  • Medium 825db4300c63a642e83a91737dfb02f2
  • Medium 105e5c76d2ee2fe2df5eb307b8157b67
  • Medium e7c82316a65cafd731f94e3a07c88944
  • Medium df8bddf26bbcaf4faa5a7b1d54e7d555
  • Medium 1cc506e9ac0b31cc9c75aee4313b84bd
Medium f4103e94334ac545e884298431d0afe0Medium 010ac9a402de370882d1bdbaf6a70e09Medium 825db4300c63a642e83a91737dfb02f2Medium 105e5c76d2ee2fe2df5eb307b8157b67Medium e7c82316a65cafd731f94e3a07c88944Medium df8bddf26bbcaf4faa5a7b1d54e7d555Medium 1cc506e9ac0b31cc9c75aee4313b84bd