Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Governo de Sergipe inicia período experimental do Novo Ensino Médio em 38 escolas estaduais

A Lei nº 13.415/2017 alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e estabeleceu uma mudança na estrutura do ensino médio, ampliando o tempo mínimo do estudante na escola de 800 horas para 1.000 horas anuais (até 2022)
04 de Abril de 2019 | 16:56

Com o objetivo de alinhar as diretrizes legais e pedagógicas do Novo Ensino Médio, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por intermédio do Serviço de Ensino Médio da Seduc (Semed), reuniu-se com representantes de 38 escolas da Rede Estadual de Ensino de Sergipe, nesta quinta-feira (04), no Complexo Administrativo e Pedagógico da Seduc, em Aracaju. A reunião contou com presença de diretores e coordenadores das unidades que farão parte da fase experimental do projeto.

A Lei nº 13.415/2017 alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e estabeleceu uma mudança na estrutura do ensino médio, ampliando o tempo mínimo do estudante na escola de 800 horas para 1.000 horas anuais (até 2022) e definindo uma nova organização curricular, mais flexível, que contemple uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a oferta de diferentes possibilidades de escolhas aos estudantes, os itinerários formativos, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

Para a diretora do Serviço de Ensino Médio da Seduc, professora Joniely Cruz, esse encontro é o momento de expandir o diálogo com as escolas que vão passar por esse período de teste. “Estamos muito entusiasmados com essa fase do projeto. Desta forma, vamos adequando e fazendo com que essas unidades possam flexibilizar o currículo para chegar ao final do ano letivo de 2019 ofertando 1000h anuais na carga horária dos alunos”, relata.

Neste momento de formação, a equipe técnica do Semed debateu com os gestores questões pedagógicas acerca do projeto, como, por exemplo, de que forma essa medida irá beneficiar a comunidade escolar na rotina de ensino e aprendizagem.

A técnica do Semed, professora Fernanda Araújo, destaca que o Novo Ensino Médio chega com uma força inovadora para a grade curricular. Ela conta que os estudantes, professores e gestores terão acesso a iniciativas que dificilmente são adotadas nessa modalidade de ensino. “A novidade é que nessas 100h semanais a mais, da nova carga horária, a escola trabalhará com quatro eixos estruturantes ligados ao desenvolvimento do projeto de vida, são eles: empreendedorismo, processos criativos, investigação científica e mediação e intervenção sociocultural”, detalha.

Protagonismo Escolar

Com a adoção dessa medida, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estará organizada por áreas do conhecimento e não disciplinas. O estudante continuará aprendendo conhecimentos de todas as disciplinas, pois elas estão contempladas nas habilidades e competências da BNCC. Contudo, a organização por áreas estimula novos formatos de aula, menos expositivas, como projetos, oficinas e atividades com maior participação dos estudantes e que conectam conhecimentos e professores de diferentes áreas.

De acordo com a diretora do Colégio Estadual Delmiro de Miranda Britto, em Canindé de São Francisco, professora Patrícia Anjo Silva Almeida, a escola tem muito a ganhar com a ampliação da carga horária e adoção de novos formatos pedagógicos. “Acredito que assim poderemos fortalecer ainda mais o protagonismo dos nossos alunos e professores. Como qualquer outra unidade a gente busca sempre inovar na maneira de ensinar. Com o novo ensino médio isso só vai ajudar a aperfeiçoar nossas práticas”, celebra.

O professor Gustavo Floriano, coordenador pedagógico do Colégio Estadual 24 de Outubro, em Aracaju, destaca que a equipe gestora também está entusiasmada com a adoção desse novo formato. “Estamos vivendo numa época em que tudo é muito ágil e devemos acompanhar as mudanças. A restruturação da educação é muito importante, porque faz com que as escolas tenham acesso a iniciativas como essa e que traz o devido reconhecimento aos protagonistas estudantis”, finaliza.

*Com informações do MEC
 

  • Medium ae4f8a30afdecd31ae172402ce080ed2
  • Medium 2ed552a5858b840f1fa4c109f47ef35c
  • Medium 3dcaa1dd8f3d36cd7e21bce6e402cc81
  • Medium a69586f9bba5d26cb8853ae1288c6d70
  • Medium 179960bdc6bebef6647f9a947b9542e0
  • Medium e6eed0e7f814e84ca44c4020f0f01a30
Medium ae4f8a30afdecd31ae172402ce080ed2Medium 2ed552a5858b840f1fa4c109f47ef35cMedium 3dcaa1dd8f3d36cd7e21bce6e402cc81Medium a69586f9bba5d26cb8853ae1288c6d70Medium 179960bdc6bebef6647f9a947b9542e0Medium e6eed0e7f814e84ca44c4020f0f01a30