Logo

Agência Sergipe
de Notícias

Notícia

Governo do Estado busca melhorias para pequenos produtores sergipanos junto ao Ministério da Agricultura

Garantia Safra, Terminal Pesqueiro, Crédito Fundiário, matadouros e queijarias estão entre as pautas que serão levadas pelo secretário da Agricultura ao Mapa nesta quarta
05 de Fevereiro de 2019 | 17:40

Como uma espécie de seguro que garante ajuda financeira para pequenos agricultores que tiveram perda de mais de 50% da safra por conta da estiagem, o Garantia Safra está sofrendo atrasos no pagamento da parcela vinda do governo federal, devido à transição administrativa no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa. Essa será uma das pautas que o secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, levará nesta quarta-feira (06) a Brasília, onde cumpre uma agenda intensa de reuniões com cinco diferentes secretarias da pasta.

A ideia é fazer uma aproximação inicial com a nova gestão do governo federal, em busca não só de apoio para os produtores rurais sergipanos, mas também do destravamento de alguns processos que aguardam resolução na esfera federal. Ao todo, mais de dez pautas serão levadas pelo governo de Sergipe aos secretários da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa, Fernando Henrique Kohlmann Schwanke; de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior; de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, Fernando Camargo; de Política Agrícola, Eduardo Sampaio Marques; e de Defesa Agropecuária, José Guilherme Tollstadius Leal.

“Nós queremos discutir a agricultura como um todo, inclusive a agricultura familiar. É uma pauta do governador Belivaldo Chagas. O Garantia Safra, por exemplo, prevê o pagamento de cinco parcelas de R$ 170. Os agricultores pagaram sua parte, o governo do Estado também, mas muitos ainda não receberam do governo federal, acreditamos que em razão da transição administrativa. Então, vamos pedir celeridade na análise dos laudos enviados pela Emdagro, para ver se é liberado o pagamento desse recurso, tão importante para o nosso pequeno produtor”, disse André Bomfim.

Ainda segundo o gestor, outra pauta de grande importância que será levada ao Ministério é o convênio do Terminal Pesqueiro. “Dos R$ 13 milhões previstos no projeto, ainda aguardamos a liberação de R$ 8 milhões para concluir a obra. Vamos tentar sensibilizar o secretário Jorge Seif sobre a importância desse equipamento para Sergipe. Estamos felizes com essa agenda porque é uma oportunidade ímpar para que possamos estreitar esse diálogo e estabelecer uma atuação harmoniosa com o governo federal. O Ministério da Agricultura, hoje, possui sete secretários. Teremos oportunidade de dialogar com cinco deles”, avaliou Bomfim.

Para conseguir apoio na operacionalização do Programa Nacional de Crédito Fundiário, o secretário revela que apresentará proposta de convênio de cerca de R$ 1,4 milhões ao Mapa. “É uma ação para que o pequeno produtor possa ter acesso à terra através de uma linha de empréstimo. Temos duas mil famílias assentadas em Sergipe, e mais duas mil em fila de espera, aguardando por esse acesso”, detalhou André Bomfim. 

Além dessas pautas, o secretário apresentará um panorama da Agricultura em Sergipe e colocará em discussão, junto ao Ministério, a construção de cisternas e barragens; a recuperação do Centro de Treinamento de Boquim, transformando-o em um Instituto de Desenvolvimento em Fruticultura; a reabertura da Conab em Nossa Senhora da Glória; a implantação da Unidade de Produção de Inimigos Naturais – Upin; a questão dos matadouros municipais; a agroindustrialização e a criação do Fórum da Agricultura Sergipana. 

“Vamos tentar conseguir meios de ajudar na regularização das pequenas queijarias do Alto Sertão. Temos registro de mais de 100, e muitas delas foram fechadas pelos órgãos ambientais por falta de condições de funcionamento, mas a proposta do governo do Estado é conseguir apoio para adequar e capacitar. Hoje, o Banese está tentando ajudar nessa linha de financiamento e vamos tentar trazer essa agroindústria para o crédito fundiário. As fabriquetas são uma parte importante da cadeia produtiva da nossa bacia leiteira porque são canais de escoamento da produção. Então consideramos urgente e necessário tentar intervir por esses pequenos produtores junto ao governo federal”, disse o secretário de Estado da Agricultura. 

Por sua vez, o Fórum da Agricultura Sergipana seria um espaço de discussões entre os diversos agentes envolvidos na cadeia produtiva, segundo explica o secretário. “A ideia é proporcionar, a todos os envolvidos na fruticultura, rizicultura, bovinocultura e demais segmentos, um espaço para debates que visem à melhoria da Agricultura do nosso estado, nos diferentes aspectos - produção, comercialização, infraestrutura e agroindustrialização. Um fórum amplo, que comportasse a participação das federações, associações, sindicatos, Crea, Embrapa, entre outros, em torno de questões comuns ao setor”, concluiu André Bomfim.


 

  • Medium f7ecbee90813985ecb3160557fab6c12
  • Medium 08abbf6b09c7a8a2445a6fe99d4ef916
  • Medium a14a8a417c793e012fe649ec0429c17d
Medium f7ecbee90813985ecb3160557fab6c12Medium 08abbf6b09c7a8a2445a6fe99d4ef916Medium a14a8a417c793e012fe649ec0429c17d